MASSAGEM PSICOSSOMÁTICA
Massagista - Nelson Moraes

Problemas de coluna, Dores de Cabeça, Tensão emocional, Fribromialgia, Estresse, Insônia e Depressão.

O tratamento inclui a orientação de como atuar com o próprio magnetismo nas relações pessoais, sociais e profissionais.

TEMPORARIAMENTE ESTAMOS ATENDENDO APENAS NO CONSULTÓRIO DE SÃO PAULO.


Atendimento no Consultório de São Paulo: às Quintas, Sextas e Sábados com hora marcada das 12h. às 18h. na Av. Gov. Adhemar Pereira de Barros, 80 - Jd. Aricanduva - Próximo ao Shoping Aricanduva. Fone para agendar: (0xx)  11 - 2724-5002 - com Vanusa ou Ana Maria.

                                                              Veja o Mapa do Consultório em São Paulo

     A Massagem Psicossomática, os problemas de Coluna e a Fibromialgia.

      No início, a maioria dos problemas de coluna se manifestam por um enfraquecimento de uma ou de mais vértebras, dificilmente diagnosticados através dos exames tradicionais, como radiografia, tomografia ou ressonância magnética. Esse enfraquecimento ocorre quando o fluido vital (eletricidade dos corpos orgânicos) nessa região se esgota tornando-a sensível a um maior esforço. O desconforto e as dores nas costas são as principais características desse mal.
     Ignorando as causas nos momentos de crise, muitas vezes recorremos dos antiinflamatórios que em alguns dias proporcionam um alívio, mas o mal permanece e deverá receber tratamento adequado para evitar novas crises, as quais poderão contribuir para o desenvolvimento de uma ou mais hérnias de disco, neste caso, quase sempre a cura só é alcançada através de um tratamento cirúrgico.
    
Os sintomas desse mal podem ainda assumir características das mais diversas, como dores de cabeça, indisposição estomacal com vômitos, sensação de peso na nuca, a impossibilidade de certos movimentos e torcicolo.
    
Os músculos são as estruturas motoras da coluna vertebral comandados pelos estímulos elétricos nervosos que saem do cérebro passando pela medula nervosa e terminando neles próprios. Os músculos, como todos os componentes orgânicos, são como baterias elétricas auto recarregáveis através do movimento, o excesso de conforto e a postura corporal errônea que adotamos e o sedentarismo, deixa de exigir a ação da totalidade das vértebras e as menos requisitadas não recarregam a eletricidade necessária e se desarmonizam do conjunto.
    A Massagem Psicossomática, por se tratar da aplicação do magnetismo, atua repondo o Fluido Vital (Eletricidade) revitalizando a região da coluna onde se localiza a área enfraquecida. Socorrida pelo magnetismo durante a crise, a pessoa, na maioria dos casos, recobra os movimentos imediatamente e a dor é suprimida em menos de 12 horas. Recuperado o vigor da área enfraquecida, conseqüentemente o equilíbrio orgânico se restabelece promovendo a cura.
    Este tratamento tem apresentado ótimos resultados quando aplicado nos processos de fibromialgia, isso porque, o magnetismo atua de forma Psicossomática. A fribromialgia quase sempre é resultante do estado psíquico e emocional da pessoa, com a aplicação do magnetismo o paciente recebe uma influência altamente positiva alterando seu estado psíquico.
   
Os mais comuns e característicos sintomas da fibromialgia são: dor, fadiga e distúrbio do sono. A dor é o principal fator, os sintomas dolorosos são do tipo: pontada, queimação, sensação de peso, entre outras.
 
   A musculatura do corpo é formada por 6 trilhões de Fibras sendo que cada Fibra tem a espessura de um fio de cabelo e cada uma delas é capaz de suportar 1000 vezes o seu próprio peso. A potência Muscular se desenvolve através da sua contração, e do seu trabalho e essa força só se mantém com o uso constante. Com a inércia contínua do Músculo as suas fibras se enfraquecem por falta do fluido vital e conseqüentemente todo o músculo se atrofia. É isto que acontece quando a pessoa tem uma vida sedentária ou vive um descontrole emocional.

   A Massagem Psicossomática, o Estresse, a Depressão e a Memória.

    O elemento básico do sistema nervoso é a célula nervosa, ou neurônio. Em conjunto, os neurônios formam os nervos, fibras que transmitem os impulsos pelo corpo. Uma cobertura protetora de mielina, uma substância gordurosa, isola partes das fibras.
    A ação das células nervosas é elétrica e química. Nas extremidades de cada célula nervosa existem regiões especializadas chamadas de terminais sinápticos, que contêm grande quantidade de minúsculos sacos membranosos que retém as substâncias químicas neurotransmissoras. Essas substâncias transmitem os impulsos nervosos de uma célula nervosa a outra. Após um impulso nervoso elétrico ter percorrido um neurônio, ele chega ao terminal e estimula a liberação de neurotransmissores de seus sacos.
    De acordo com uma pesquisa realizada pelos pesquisadores do Rosalind Franklin University of Medicine and Science dos Estados Unidos, de autoria de Daniel Peterson, PhD, um único episódio de estresse extremo pode ser o suficiente para destruir novas células nervosas no cérebro, acreditam que a perda dessas células possa ser uma das causas da depressão.
    Os cientistas usaram grupos de ratos jovens e de ratos mais velhos e agressivos para o estudo, que foi publicado na revista Journal of Neuroscience. Cada rato jovem foi colocado em uma gaiola com dois ratos mais velhos durante 20 minutos. Os ratos velhos intimidavam e, em alguns casos, atacavam os mais novos com mordidas.
    O nível de estresse dos ratos jovens colocados nessas gaiolas chegou a ser seis vezes mais alto do que o normal. Os cientistas descobriram que o estresse afeta as células do hipocampo, a área do cérebro responsável pelo aprendizado, memória e emoção. O hipocampo é uma das regiões cerebrais que continua a desenvolver células nervosas durante a vida, tanto nos ratos quanto em seres humanos.
    O estresse não impediu a produção de novas células, como acreditavam alguns cientistas. Mas as células tiveram mais dificuldade em sobreviver, o que significa que houve uma redução no número de neurônios novos para processar sentimentos e emoções.
    Os pesquisadores acreditam que a perda de células nervosas pode ser uma causa de depressão. Uma semana após o teste, apenas um terço das novas células produzidas havia sobrevivido. A sobrevivência dos neurônios em longo prazo também foi comprometida.
    O magnetismo aplicado através da Massagem Psicossomática, promove uma sobrevida às células nervosas e estimula a sua produção, aumentando o controle de qualidade na atividade do cérebro. Conseqüentemente, ajuda no restabelecimento do equilíbrio psíquico.
 

   Segundo a Dra. Silvia Helena Cardoso, PhD. Psicobióloga, mestre e doutora em Ciências. Fundadora e editora-chefe da revista Cérebro & Mente. Universidade Estadual de Campinas. Extraído do site: www.cerebromente.org.br
    "
A
eletricidade é um processo natural em nosso organismo e está envolvida na função específica de certas células especiais no cérebro e nos músculos estriados e lisos. Cada padrão de luz, som, calor, dor, cada piscar de olhos, estalar de dedos, cada pensamento, se traduz em uma sequência de pulsos elétricos."
    Com base nessas informações, fica patente que as nossas emoções e pensamentos estão intimamente ligados a nossa constituição física, promovendo o equilíbrio ou o desequilíbrio orgânico. Ou seja, a saúde ou a enfermidade, portanto, a educação dos sentimentos, das emoções e das atitudes, promove a profilaxia de muitos males que hoje sofre a humanidade, levando-nos a entender cientificamente que, a calma, a humildade, a bondade, o bom senso e a alegria fazem bem para a saúde!

     Nelson Moraes


 Compartilhar Facebook